- MARCHI ARQUITETURA -
DESTAQUE 
X  
Revista Tendências Edição N05
Sucesso entre nossos clientes, a Revista Tendências vem mais uma vez compartilhar o nosso entusiasmo criativo trazendo as últimas tendências do mercado imobiliário. Queremos que você esteja sempre inspirado, por isso, fique atento! Agora algumas páginas possuem ícones de interatividade. Confira!
Há 25 anos, nascia uma paixão:
Desenvolver e criar com um olhar no futuro projetos com soluções inovadoras e diferenciadas. Nossa história é baseada em valores como respeito e confiança, construídos através de relações que evoluem com o tempo e levam garantia aos nossos clientes e parceiros.

Somos referência em projetos arquitetônicos, voltados para o mercado imobiliário brasileiro. Projetamos com pessoas e para pessoas, objetivando a melhoria na qualidade de vida dos usuários e agregando valor ao business do cliente. Atuamos na elaboração de projetos arquitetônicos Residenciais, Comerciais, Hoteleiros e de Interesse Social.
Uma sólida trajetória de sucesso não se escreve sozinho.
Na década de 90, Wilson Marchi e Ricardo Hariki eram dois arquitetos recém-formados quando integraram a equipe. Ao longo dos anos foram reconhecidos pela excelência, inovação e competência.

O amor pela arquitetura e o entendimento dos projetos como a fusão integrada de soluções, permitiram que essa parceria prosperasse se tornando uma referência na arquitetura brasileira.
Ricardo Hariki
Wilson Marchi
Orgulho de ser Marchi
Acreditamos que todo sucesso é resultado da união e troca de conhecimentos, bem como a experiência dos envolvidos no projeto. Nossa equipe é multidisciplinar, ativa e envolvida, o que nos permite integrar os melhores parceiros de diversas áreas a fim de antever problemas e eliminar empasses.

Nosso profundo conhecimento técnico somado a novas maneiras de pensar o projeto nos faz compreender inteiramente as necessidades dos nossos clientes e parceiros, nos guiando á resultados e soluções inteligentes.

Somos solucionadores, buscamos de forma cocriativa, colaborativa e flexível, a otimização de cada projeto, atentos garantimos eficiência e confiabilidade.
 
  • Trilogy
  • Patteo Mogilar
  • Setin Midtown
  • Uptown Arouche
  • Setin Midtown Arquidaban
  • Patteo Olinda Shopping
  • Sleep Inn - Guarulhos
  • ENTREGA DE MAIS UM SUCESSO COM ASSINATURA MARCHI
    HELBOR PATTEO MOGILAR Sky Mall & Offices ...
    Livro Arquitetura Brasileira 2ª edição ...
    A padronização da arquitetura ...
    Modern House- Prêmio Asbea ...
    Revista AU Nº141 - Fato e Opinião ...
    Patteo Mogilar ...
    Entrevista do Wilson Marchi à Helbor ...
    Nossos projetos ...
    Projeto da Marchi surpreende mercado por a ...
    RConstrução Mercado ...
    xx ...
    asdasd ...
    Reservamos um espaço para compartilhar nosso entusiasmo criativo e dividir nossas inspirações trazendo tendências, conteúdos e exclusividades da Marchi Arquitetura de Solução.
    Revista Tendências Edição N05
    Sucesso entre nossos clientes, a Revista Tendências vem mais uma vez compartilhar o nosso entusiasmo criativo trazendo as últimas tendências do mercado imobiliário. Queremos que você esteja sempre inspirado, por isso, fique atento! Agora algumas páginas possuem ícones de interatividade. Confira!
     
    Revista Tendências Edição N04
    Das últimas tendências, só fica de fora quem é desconectado!
     
    Revista Tendências Edição N03
    A Revista Tendências chega a sua 3ª edição com muito mais novidades! Confira!
     
    Revista Tendências Edição N02
    Confira a 2ª edição da revista Tendências, com muito mais conteúdo e novidades. Sempre trazendo as últimas tendências do mercado imobiliário para que você fique sempre inspirado.
     
    Criações da marca
    Acreditamos que a atenção com nossos clientes, deve ir muito além do projeto.
     
    Revista Mudança da Marca
    Confira todos os motivos que nos trouxeram até aqui e o passo-a-passo sobre a criação da nova marca Marchi - Arquitetura de Solução
     
    Revista Tendências
    Confira a primeira edição da revista que preparamos para compartilhar nossos conhecimentos com você!
    Porque inspiração é ser criativo e estar por dentro das últimas tendências.
     
    Av. Brigadeiro Faria Lima 2092
    18º andar | 01451 000 | SÃO PAULO | SP
    T +55 11 3488 2600
    Acompanhe nossas redes sociais



    Fale com a Marchi






    Banco de Talentos

    Vidro que fica colorido ao toque de um botão chega ao Brasil
    Postado em 04 de novembro de 2015
    A empresa israelense Gauzy pretende inovar o modo como as pessoas decoram suas casas. Ela criou uma persiana inteligente que pode mudar de cor com apenas um toque.

    Chamada de Smart Blinds, a tecnologia funciona com cristal líquido, que é transformado em película e colocado entre duas camadas de vidro. Com um controle remoto, o usuário pode regular a opacidade e qual parte do vidro estará colorida.

    “A Smart Blinds tem a aparência de uma persiana tradicional e pode ser movimentada como o usuário quiser”, esclareceu Arie Halpern, diretor da Gauzy, em entrevista a EXAME.com.

    Além de controlar a passagem de luz através do vidro, a película do cristal líquido vem colorida de fábrica. Segundo Halpern, a primeira a ser vendida no Brasil, a partir de setembro, será da cor negra.

    “Nós decidimos lançar esta cor primeiro, pois ela é muito requisitada na indústria automobilística”, conta o diretor da empresa. O papel do Smart Blinds seria similar ao do Insulfilm. Menos luz entraria nos automóveis, diminuindo o consumo de combustível e a emissão de gases, por conta do uso menor de ar condicionado.

    Onde pode ser usada

    A tecnologia pode ser instalada em casas e escritórios comerciais. Contudo, segundo Halpern, as persianas inteligentes podem ter utilizações mais nobres. “Como as cortinas normais são uma grande fonte de bactérias, o vidro seria de grande ajuda para hospitais e centros médicos se manterem mais limpos”, diz o diretor.

    De acordo com Halpern, duas grandes empresas brasileiras, dos setores hoteleiro e hospitalar, já pediram a nova tecnologia. Ele conta que escolheu o Brasil para fazer o lançamento do produto devido à alta densidade populacional, ao clima quente e ao elevado desenvolvimento da arquitetura nacional.

    A persiana inteligente irá custar 2.500 reais o metro quadrado e terá dois anos de garantia. No entanto, esta não é a única novidade da empresa para o público brasileiro. "Nos próximos meses pretendemos lançar outros produtos no país, que utilizam menos energia e que podem até gerar energia solar”, conta Halpern. Agora, é esperar para ver.

    Veja abaixo um vídeo (em inglês) mostrando a tecnologia.

    Prefeitura de São Paulo lança projeto piloto de mobilidade para pedestres
    Postado em 27 de outubro de 2015
    A Prefeitura de São Paulo continua buscando influências de políticas públicas no exterior. Sob a gestão de Fernando Haddad (PT), foram repensados conceitos de mobilidade urbana para a metrópole, como a implantação de ciclovias, faixas exclusivas para ônibus e a redução de velocidade nas marginais. As transformações têm recebido críticas sobre a real viabilidade e a verba utilizada – os 400 quilômetros previstos para implementação de ciclofaixas custará ao todo R$ 80 milhões.

    As discussões mais acaloradas permeiam a falta de gestão urbana pensada para os pedestres. Muitas pessoas reclamam não ter espaço para caminhar entre as ciclovias e a rua, além das calçadas apresentarem uma série de problemas. Além de algumas serem estreitas demais, muitas, principalmente da zona central da cidade, estão em péssimas condições.

    Por isso, a Prefeitura lançou o projeto piloto que visa a reforma dos calçadões de pedestres no centro de São Paulo. Essa é uma das principais metas da gestão de Haddad, que se encerra em 2016.

    Os testes serão realizados nos distritos da Sé e República e somarão cerca de 75 mil m² de calçadão. O texto sobre o projeto diz que se for aprovado, pode se estender para outros pontos da cidade.

    O novo modelo de piso, que será em blocos de concreto, foi desenvolvido em parceria com a ABCP (Associação Brasileira de Cimento Portland), de acordo com o site de Gestão Urbana da Prefeitura, tem o diferencial principal de preservar suas características ao longo do tempo. Com alta espessura e resistência à grandes cargas, ele será autolimpante (substâncias fotocalíticas reagirão às manchas e odores) e removível. Por ser colocado em blocos sua retirada poderá ser feita sem quebra.
    Conheça a maior impressora 3D do mundo capaz de construir casas usando materiais orgânicos
    Postado em 14 de outubro de 2015
    As impressoras 3D estão com tudo no mercado e já foram usadas para produzir uma grande diversidade de itens: desde uma coleção de moda até mesmo a impressão de rostos em panquecas. Agora, a tecnologia poderá ser aplicada também à construção civil – e o melhor: usando matéria orgânica para construir casas.


    A ideia partiu de uma empresa de engenharia italiana como parte do projeto World’s Advanced Saving Project (WASP). Considerada a maior impressora 3D do mundo e chamada de Big Delta, ela tem 12 metros de altura e sua tecnologia foi inspirada na vespa de oleiro, um inseto que constrói seu ninho depositando camadas de lama uma em cima da outra.

    A Big Delta busca ajudar comunidades pobres na construção de residências e deve ser usada principalmente em regiões com pouca energia ou vítimas de desastres, tendo um custo de produção próximo do zero. A matéria prima utilizada nas construções consiste em barro, argila ou fibras naturais, tendo o cimento como aditivo químico para garantir a consistência do material. Além disso, as casas construídas com a tecnologia utilizam uma estrutura de metal de 6 metros de diâmetro.

    Dá o play para ver o funcionamento:

    O futuro: menos mão de obra!
    Postado em 06 de outubro de 2015
    Veja a aplicação de argamassa minimizando o número de operários! Uma característica que adiciona morosidade às construções é sua dependência de processos manuais, arcaicos. À medida que evoluímos, automatizam-se mais e mais os procedimentos construtivos, favorecendo cronogramas e cumprimento de prazos! Fascinante, não?

    Revista Tendências N05
    Postado em 30 de setembro de 2015
    Sucesso entre nossos clientes, a Revista Tendências vem mais uma vez compartilhar o nosso entusiasmo criativo trazendo as últimas tendências do mercado imobiliário. Queremos que você esteja sempre inspirado, por isso, fique atento! Agora algumas páginas possuem ícones de interatividade. Confira!
    Com vocação para novo cartão postal de Mogi, Helbor Patteo Mogilar Sky Mall & Offices, causa alvoroço na cidade para entrega do complexo.
    Postado em 21 de setembro de 2015
    Mais de 350 pessoas prestigiaram na última quinta feita (17), a entrega do Helbor Patteo Mogilar Sky Mall & Offices, entre os convidados, Wilson Marchi, Ricardo Hariki e Fernando Sabino, compartilharam do sentimento de orgulho e missão cumprida com sucesso em mais um projeto da Marchi.

    Com 275 salas comerciais e 58 lojas. O centro de compras e serviços, será administrado pela HBR Realty sob a marca COMVEM, que tem a proposta de oferecer soluções para o dia a dia do consumidor.

    O empreendimento é mais um marco na vida da cidade e na trajetória da Helbor. O presidente, Henry Borenstein, destacou que desde a aquisição do terreno, a Companhia já vislumbrava o que ele poderia representar. “Nossa intenção foi desenvolver empreendimentos que pudessem potencializar a economia local, além de trazer um novo conceito de edifícios comerciais e residenciais com o suporte de uma moderna infraestrutura de lojas de compras e serviço. Ver um empreendimento nosso como esse ser entregue na cidade em que nasci, é sempre uma grande emoção. O Helbor Patteo Mogilar Sky Mall & Offices faz parte de um projeto imobiliário diferenciado que temos para a população mogiana. É um momento histórico”, explicou.

    Já Henrique Borenstein, fundador e presidente do Conselho de Administração da Helbor, afirmou que “ver um empreendimento desse porte ser entregue aos clientes e à população mogiana é algo de que nos orgulhamos”.
    Everblock: e se fosse possível construir móveis e casas com blocos gigantes de montar?
    Postado em 15 de setembro de 2015
    Dos tempos de criança para a vida de adulto. Algumas referências e brincadeiras cresceram com o criativo empresário Arnon Rosan. Rosan lançou há pouco tempo, uma ideia que pode ser considerada “maluca” por muita gente adulta. O produto em questão chama-se Everblock e é um sistema modular de blocos de plástico (como o Lego, mas em tamanho real) que funciona perfeitamente para construir móveis e até divisórias ou paredes de uma casa.
    O EverBlock é mais do que um brinquedo. Você pode usar os módulos de polipropileno empilhados, como um material de construção. Rosan conta que criou a empresa com o intuito de facilitar a construção de mesas, sofás e cadeiras do material, mas rapidamente percebeu que eles tinham outras aplicações. Hoje, o Everblock é fabricado em 14 cores e tem três tamanhos, além de variarem o peso.
    O chuveiro que permite poupar 70% de água ao transformá-la em neblina
    Postado em 01 de setembro de 2015
    Nós sabemos sobra a importância de se economizar água no dia-a-dia. E os banhos demorados são potencialmente uma das maiores maneiras que temos de desperdiçar água. Mas será que uma tecnologia que permitisse uma economia de 60% a 70% na água utilizada em um banho poderia ser viável?

    A aposta nesse sentido é o chuveiro Nebia, que está buscando financiamento coletivo através da plataforma Kickstarter, onde já arrecadou mais de US$ 2 milhões – o objetivo inicial era de conquistar apenas US$ 100 mil. A ideia do gadget é usar 70% menos água do que um chuveiro comum ao reduzir as gotículas de água e criar uma névoa em torno de quem está tomando banho. Ou seja, o dispositivo funcionaria mais como uma sauna capaz de molhar e deixar limpo o usuário, do que como uma ducha convencional.

    Containers on Grand: o condomínio de contêineres em Phoenix
    Postado em 26 de agosto de 2015
    Containers on Grand é o nome de um projeto na cidade de Phoenix nos Estados Unidos o qual se utiliza contêineres de carga para formar simplesmente uma vila de apartamentos, construídas ao largo da Grand Avenue uma das mais importantes desta que é a maior metrópole do estado do Arizona. Os apartamentos de 1 dormitório tem área de 69 m³ e cada uma delas utiliza contêineres de 12 metros devidamente projetados, soldados e separados para oferecerem espaços agradáveis a moradores que buscam algo confortável e criativo.

    O projeto também pretende cobrir parte do déficit populacional no centro da cidade pois a população devido ao alto custo de moradia se afasta para bairros de subúrbios cada vez mais distantes, com um preço competitivo para pessoas que não querem viver longe de seus trabalhos e lazer.

    Os contêineres são adaptados de modo a promoverem apartamentos com uma sala de estar bastante iluminada e estão dispostos de maneira muito inteligente, pois deixam entre duas casas os espaços úmidos (banheiro e cozinha), o que facilita bastante a construção e o fluxo dentro das instalações.
    Cama escondida desce do teto e transforma sala em quarto
    Postado em 19 de agosto de 2015
    A disputa por cada metro quadrado aumenta, principalmente nas grandes áreas urbanas. Essa dura realidade cria incentivos para incríveis projetos que otimizam o espaço de maneira inteligente, como a YO! Home, projetada pelo designer Simon Woodroffe. Ele sempre acreditou que uma moradia confortável e até luxuosa não deveria ser um privilégio apenas dos ricos. Assim, a YO! Home oferece altos padrões e boa qualidade de vida, mas em um espaço bastante reduzido: 40m². A pequena casa explora diversas configurações em um mesmo ambiente, que pode ser sala, cozinha, sala de jantar e quarto. Sem dúvida, o detalhe mais impressionante é a cama, que fica escondida no teto e desce, encaixando perfeitamente sobre o sofá. Tudo isso apenas com o toque de um botão.
    Alguns prédios com arquitetura maluca!
    Postado em 11 de agosto de 2015
    Controversos e surpreendentes na paisagem urbana, estas edificações tornaram-se famosas por seus desenhos ousados. Alvo da fúria de muitos arquitetos, elas dividem opiniões – e você, o que acha?

    O futuro: vias inteligentes
    Postado em 04 de agosto de 2015
    Interatividade e fornecimento de dados, interligados a nosso cotidiano: eis um futuro possível para nossas vias, com o uso de painéis inteligentes (não simplesmente captadores de energia solar).

    Arquitetos criam desenhos de São Paulo e Paraty para baixar e colorir
    Postado em 28 de julho de 2015
    A moda dos terapêuticos livros de colorir para adultos ganhou uma versão arquitetônica.

    Um escritório de arquitetura e urbanismo em São Paulo criou uma série de croquis (desenhos) de São Paulo para serem pintados a gosto do freguês.

    Segundo a equipe, a ideia é fortalecer e valorizar o reconhecimento do patrimônio da cidade. Os desenhos, que devem ser publicados periodicamente, trarão edifícios, paisagens e situações cotidianas de São Paulo.

    Eles podem ser baixados gratuitamente no blog (www.terraurbanismo.wordpress.com) do escritório. Entre as opções, já estão o Edifício Matarazzo, o viaduto Santa Ifigênia, o museu do Ipiranga, a estação da Luz e a ponte estaiada.

    Além de São Paulo, desenhos de Paraty, no Rio, e plantas diversas (que compõem a série “Natureza Urbana”) também estão disponíveis para download.
    Mobiliário urbano que gera energia e armazena água da chuva
    Postado em 21 de julho de 2015
    Imagine um mobiliário urbano multiuso que serve como banco, ponto de ônibus e bondes, ponto de recolha do lixo etc. Surreal? Pois ele já foi projetado e intitulado de "Bromelia", por ter inspiração na planta de mesmo nome. O projeto foi pensado para produzir a energia solar através de uma película fotovoltaica e coletar a água da chuva para posterior reuso.
    Bromelia é uma proposta pensada inicialmente para Belém, porém, a pretensão é levar o modelo de mobiliário urbano a outras cidades do mundo, sobretudo localidades que sofrem com os problemas crescentes de escassez de água.
    Google cria laboratório para buscar soluções para os maiores problemas urbanos
    Postado em 15 de julho de 2015
    A Google anunciou recentemente a criação do Sidewalk Labs, um laboratório que tem como objetivo enfrentar os desafios urbanos vividos por grande parte das cidades através da tecnologia.

    "Nossa missão é melhorar a vida nas cidades para todos através da aplicação de tecnologias para resolver os problemas urbanos", é o que se lê na página inicial da Sidewalkinc.

    Mais informações a seguir.

    "Estamos no início de uma transformação histórica nas cidades. Em um momento em que aumentam as preocupações com o patrimônio urbano, a saúde e o meio ambiente. O poder transformador da tecnologia fará com que as cidades sejam mais eficientes, sensíveis, flexíveis e resilientes. Com Sidewalk Labs, esperamos desempenhar um papel importante no desenvolvimento de produtos tecnológicos, plataformas e infraestruturas que possam ser implementadas em cidades do mundo todo", disse Dan Doctoroff, ex-diretor executivo da Bloomberg e atual CEO da Sidewalkinc.

    Por sua vez, o CEO da Google, Larry Page, comentou que a tecnologia nas cidades pode mudar significativamente as vidas de milhões de pessoas em todo o mundo. "Com Sidewalks Labs, queremos ampliar os esforços em áreas como habitação, custo de vida, energia, transporte e governabilidade, visando resolver problemas reais enfrentados diariamente pelos habitantes das cidades."

    Via sustainablecitiescollective.com
    Usina solar instalada em Florianópolis é capaz de fornecer energia para 1,8 mil pessoas
    Postado em 07 de julho de 2015
    A Usina Megawatt Solar,é reconhecida como o maior complexo fotovoltaico integrado a um edifício da América Latina.

    Aproximadamente 540 residências de Florianópolis são abastecidas com energia gerada pela usina, que conta com 4,2 mil módulos instalados numa área de 8,3 mil m² e é capaz de produzir até 1,2 gigawatt-hora (GWh) por ano, abastecendo 1,8 mil pessoas. O funcionamento da usina se dá através da radiação solar sobre os painéis, que convertem esta em energia elétrica, direcionada a uma subestação coletora para ser escoada à rede elétrica local.

    Criada em parceria com o governo da Alemanha através do banco de fomento KfW, este empreendimento reflete comprometimento com o meio ambiente e o uso de novas tecnologias para a aplicação de ideias sustentáveis. No vídeo abaixo você pode saber mais sobre o funcionamento da Usina Megawatt Solar.

    LEGO investe US$150 milhões em pesquisas para materiais sustentáveis
    Postado em 29 de junho de 2015
    A LEGO e seus emblemáticos blocos de montar são conhecidos pelos arquitetos como uma inspiração no mundo da construção; contudo, a influência da empresa de brinquedos dinamarquesa na indústria da construção está prestes a se tornar muito mais direta. Recentemente a empresa anunciou a criação de seu próprio centro de pesquisas em materiais sustentáveis, com um investimento de aproximadamente US$ 150 milhões destinado a encontrar e desenvolver alternativas ao plástico usado em seus produtos e embalagens.
    O LEGO Sustainable Materials Center, que tem construção prevista para o próximo ano, se localizará na sede da LEGO em Billung, Dinamarca, e reunirá centenas de especialistas em ciências e engenharia dos materiais. A LEGO também pretende manter e expandir suas colaborações com organizações como a World Wildlife Fund (WWF) na busca por alternativas sustentáveis.

    "Nossa missão é inspirar e ensinar os construtores de amanhã", disse o proprietário do Grupo LEGO, Kjeld Kirk Kristiansen. "Acreditamos que nossa maior contribuição a isso seja através das experiências lúdicas e criativas que proporcionamos às crianças. O investimento anunciado é uma prova de nossa persistente ambição de causar um impacto positivo no planeta que as futuras gerações herdarão."

    Embora o foco inicial do centro de pesquisa seja desenvolver materiais sustentáveis para as 60 bilhões de peças produzidas anualmente pela empresa, suas descobertas terão impactos inevitáveis em outros setores que trabalham com plásticos - inclusive a arquitetura. O Grupo LEGO também comunicou que divulgará continuamente o progresso de suas pesquisas, que têm como objetivo substituir todos os materiais usados atualmente por alternativa sustentáveis até 2030.
    Prefeitura de SP estuda possibilidade de abrir a Av. Paulista para pedestres e ciclistas aos domingos
    Postado em 23 de junho de 2015
    A Avenida Paulista é uma das principais vias da cidade de São Paulo. Plana e em cota elevada, conecta importantes ruas e avenidas que levam ao centro e à Zona Sul do município, apresentando um elevado fluxo de veículos, pedestres e, recentemente, ciclistas. Por mais importante que seja para o tráfego de veículos, a avenida é também palco de frequentes manifestações e passeatas que ocasionam seu fechamento temporário para automóveis, fato já enraizado no cotidiano dos paulistanos, que nessas ocasiões optam por trajetos alternativos.

    O fechamento da avenida para automóveis pode em breve se tornar realidade institucionalizada pela Prefeitura todos os domingos. O município, respaldado por pesquisas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), estuda a possibilidade de abrir a avenida para o fluxo exclusivo de pedestres e veículos não motorizados, como bicicletas e skates.

    A proposta será colocada em teste no próximo dia 28 de junho, data da inauguração oficial da aguardada (e necessária) ciclovia da Av. Paulista, rota que futuramente conectará outras sete ciclovias que ligam o centro à Zona Sul.

    O Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, destacou que “é uma tendência internacional de granes cidades reservarem espaços públicos para que pedestres e ciclistas se encontrem, para que haja uma maior aproximação entre as pessoas. Não só em parques, mas também em vias”, citando a avenida Times Square, em nova Iorque, como exemplo.

    Segundo a proposta do CET, a Av. Paulista permaneceria fechada para automóveis em toda a sua extensão, salvo no cruzamento com a Avenida Brigadeiro Luís Antônio, que permanecerá aberto para não interferir na passagem dos ônibus.
    Arquitetura Sustentável
    Postado em 17 de junho de 2015
    Desde 1973, ano da Crise do Petróleo, até o presente momento, a visão sobre o que é Construção Sustentável vem se modificando e aprofundando.

    No início, a discussão era sobre edifícios energeticamente mais eficientes, o desafio era superar a Crise do Petróleo por meio da redução dos consumos de energia.

    Hoje a percepção é de que a construção sustentável não é um modelo para resolver problemas pontuais, mas sim uma nova forma de pensar a própria construção e tudo que a envolve. Espera-se que a edificação mais sustentável, apresente um desempenho ambiental elevado além de viabilidade econômica e social.

    Melhor será o desempenho de uma edificação, quanto menores forem o consumo de recursos não renováveis, o consumo de água e energia, emissões relacionadas aos gases do efeito estufa, o impacto ao ecossistema local e também quanto maior for a qualidade do ambiente interno, entre outros aspectos.

    A obtenção desse desempenho é produto de um processo de projeto integrado e correta especificação de sistemas e tecnologias em suas interações e interdependências.

    Com essa crise de água e energia que estamos vivendo, é preciso pensar a arquitetura de uma maneira mais sustentável.

    AS DIRETRIZES PROJETUAIS

    -Aspectos urbanos, paisagem e mobilidade – para implantação e análise do entorno
    -Garantia de Acessibilidade e desenho universal
    -Garantia de Segurança
    -Seleção e Utilização de Materiais – atóxicos, recicláveis e reutilizáveis
    -Produção de Resíduos – minimização e redução
    -Uso da Água e efluentes
    -Consumo de Energia – eficiência energética com ênfase em fontes alternativas
    -Conforto térmico
    -Conforto visual
    -Conforto acústico
    -Conforto olfativo
    -Salubridade – qualidade ambiental interna
    -Operação e manutenção

    Se conseguimos dar uma solução para todos estes itens, com certeza estamos contemplando as melhores práticas adotadas no cenário da construção mais sustentável….
    Pré-fabricados: a solução para a construção!
    Postado em 09 de junho de 2015
    Cumprir prazos e orçamentos é um imenso desafio na construção – se já o é na civil, que dizer então na industrial, quando geralmente há, atrelado ao cronograma da obra, um compromisso de produção contratualmente firmado? Adiar inaugurações pode representar importantes prejuízos, até mesmo comprometendo as empresas envolvidas. Uma solução para esse problema é o uso de pré-fabricados, eliminando atrasos e, além disso, melhor garantindo a qualidade do produto.



    No vídeo acima, embora o título fale em “prédio feito em 360 horas”, obviamente o tempo envolvido foi bem maior.
    Pré-fabricados: a solução para a construção!
    Postado em 09 de junho de 2015
    Cumprir prazos e orçamentos é um imenso desafio na construção – se já o é na civil, que dizer então na industrial, quando geralmente há, atrelado ao cronograma da obra, um compromisso de produção contratualmente firmado? Adiar inaugurações pode representar importantes prejuízos, até mesmo comprometendo as empresas envolvidas. Uma solução para esse problema é o uso de pré-fabricados, eliminando atrasos e, além disso, melhor garantindo a qualidade do produto.



    No vídeo acima, embora o título fale em “prédio feito em 360 horas”, obviamente o tempo envolvido foi bem maior.
    Conheça o concreto que conserta suas próprias rachaduras com a luz solar
    Postado em 02 de junho de 2015
    Resistente e durável, o concreto é a escolha ideal na hora de construir prédios, casas, calçadas, pontes e estradas. Mas como qualquer outro material, o concreto também sofre com a ação do tempo, principalmente por ser utilizado para aguentar peso e impacto em excesso.
    Pequenas rachaduras podem se transformar em problemas graves na estrutura de uma edificação - todos os anos, bilhões de reais são gastos com a manutenção de vias e construções, que precisam ser interditadas antes que acidentes aconteçam.
    A boa notícia é que pesquisadores da Holanda desenvolveram um tipo de concreto com um sistema de auto-cura das suas próprias rachaduras. Ao invés de reforçar o concreto, a tecnologia busca proteger sua superfície impedindo que água, dióxido de carbono e outras substâncias corrosivas penetrem na estrutura e aumentem as rachaduras e os danos.
    O novo concreto possui microcápsulas poliméricas, preenchidas com uma solução bacteriana que se transforma em sólido resistente à água quando exposta à luz. Assim, quando as rachaduras surgem, as cápsulas se abrem e liberam a solução e as bactérias, preenchendo o buraco da rachadura e endurecendo com a luz do sol.
    O novo material representa a possibilidade de construções mais resistentes e com baixo custo de manutenção a longo prazo, trazendo benefícios para a arquitetura e o planejamento urbano das grandes cidades. A expectativa é que o concreto chegue ao mercado nos próximos dois ou três anos.
    Sistema "invisível" de captação solar se torna realidade
    Postado em 25 de maio de 2015
    Sistemas de captação solar não precisam ser óbvios. Com efeito, agora eles podem ser invisíveis, graças aos pesquisadores da Michigan State University (MSU) que desenvolveram um concentrador solar luminescente (LSC) transparente que pode ser aplicado em janelas e outras superfícies translúcidas.

    A tecnologia LSC não é nada de novo, mas seu aspecto transparente é. Tentativas anteriores geraram resultados ineficientes e de cores vibrantes; segundo Richard Lunt, professor assistente de engenharia química e materiais da MSU, "Ninguém que se sentar atrás de um vidro colorido."

    A nova tecnologia é transparente pois visa justamente os comprimentos de onda da luz solar que não estão no espectro visível. O LSC utiliza moléculas orgânicas para captar os comprimentos de onda ultravioleta e infravermelho, que então "brilham" em outro comprimento de onda infravermelho. Este "brilho" infravermelho é direcionado para as bordas do material onde é convertido em eletricidade por faixas de células fotovoltaicas.

    A tecnologia LSC transparente apresenta atualmente uma eficiência de conversão próxima a 1%, ao passo que os melhores sistemas LSC coloridos atingem até 7%. No futuro, a equipe de pesquisadores espera otimizar a produção de energia da tecnologia, visando ultrapassar os 5% (compare isso aos 15-20% das células fotovoltaicas disponíveis no mercado).

    Essa tecnologia apresenta diversas vantagens, além de ser esteticamente agradável. Primeiramente, ela pode ser usada em uma série de aplicações e tem potencial de ser desenvolvida em escala comercial e industrial a um custo acessível, de janelas a telas de celulares. Em segundo lugar, a tecnologia pode ser usada para diminuir o ganho de calor solar, já que captura especificamente as ondas infravermelhas. Segundo Lunt, "já existe tecnologias de filtros para janelas que rejeitam a luz infravermelha, como os revestimentos low-E. Nos buscamos uma funcionalidade similar ao mesmo tempo que geramos eletricidade.

    O restante da equipe de pesquisadores é composto por Yimu Zhao, estudante de doutorado em engenharia química e ciências materiais; Benjamin Levine, professor assistente de química; e Garrett Meek, estudante de doutorado de química.
    Cientistas inventam iluminação artificial que imita a luz do sol com perfeição
    Postado em 19 de maio de 2015
    Um grupo de cientistas italianos acaba de lançar a CoeLux, um novo sistema de iluminação que imita a luz do sol com perfeição. O efeito é tão realista que o seu cérebro não consegue processar que aquilo que vê não se trata do sol de verdade. Não se sinta mal, pois muitas câmeras digitais também são enganadas pela CoeLux. O novo sistema está revolucionando o mundo da iluminação e terá, sem dúvida alguma, muitas implicações para a arquitetura e decoração de interiores.

    O sistema foi desenhado para trazer iluminação para aqueles ambientes que têm pouca interação com o exterior. Quem acompanha o blog sabe que a iluminação natural deixa os ambientes mais aconchegantes e, em casas e espaços pequenos, ajuda a aumentar a sensação de amplitude, isto é, o ambiente parece ser maior do que realmente é. Assim, a CoeLux traz um pouco mais de flexibilidade na hora de reformar e decorar, já que podemos trazer a iluminação natural para qualquer ambiente, independente de sua posição na construção e da possibilidade de interação com o exterior. O sistema nada mais é do que uma claraboia, que aplica a tecnologia CoeLux.

    Como toda inovação tecnológica, é natural que a CoeLux seja cara, cerca de US$61.000 (aproximadamente R$170.800 – dólar R$2,80). No entanto, também é natural esperar que o preço caia com o tempo. Acreditem, as implicações desse invento para a arquitetura e para decoração serão incríveis! Não sabemos ainda quais as implicações, mas será possível construir arranha-céus para baixo, por exemplo!

    Prefeitura de SP implementará jardins verticais em edifícios próximos ao Minhocão
    Postado em 08 de maio de 2015
    A Prefeitura da cidade de São Paulo está em busca de edifícios localizados nas proximidades da Via Elevada Presidente Costa e Silva – o Minhocão – que possam receber jardins verticais em suas empenas cegas(face externa sem abertura à iluminação, à ventilação e à insolação de uma edificação). A iniciativa se baseia no fato dessas áreas verdes verticalizadas ajudarem na diminuição do calor e da poluição sonora na região, bastante afetada por ambos.

    Além disso, a estratégia é uma forma das construtoras realizarem a compensação ambiental pelas árvores que são frequentemente cortadas para dar lugar a empreendimentos imobiliários.

    A Câmara Técnica de Compensação Ambiental (CTCA) irá escolher alguns dos 140 edifícios localizados nas quadras imediatamente adjacentes ao elevado baseada no critério de melhoria da paisagem urbana para a população do entorno e motoristas que usam a estrutura – cerca de 120 mil por dia.

    Em 2013 a iniciativa Movimento 90° construiu um jardim vertical no edifício Honduras com o objetivo de alertar a cidade sobre a falta de espaços verdes e os benefícios gerados por eles. Hoje, a Prefeitura busca, de certa forma, dar continuidade a essa ideia, no entanto, a iniciativa ainda não tem prazo para ser implementada.

    Os condomínios interessados em receber um jardim vertical em uma de suas empenas cegas devem apresentem uma carta de intenção na Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), das 9h às 16h.

    Referência: Folha de S. Paulo
    One World Trade Center mostra timelapse dos 500 anos de história de Nova Iorque
    Postado em 07 de maio de 2015
    Quando o One World Trade Center abrir seus elevadores panorâmicos em maio, os visitantes poderão embarcar em uma jornada de volta no tempo com um timelapse animado que recria a evolução do skyline de Manhattan desde o ano de 1500. Em apenas 47 segundos, os visitantes reviverão a história arquitetônica da cidade, incluindo os atentados de 11 de setembro, enquanto sobem 102 pavimentos. Assista ao vídeo abaixo, cortesia do New York Times.

    Prédios novos podem ter regra contra desperdício
    Postado em 30 de abril de 2015
    Proposta da Câmara prevê obrigatoriedade de hidrômetro individual e utilização de água de reúso em novas construções

    A Câmara Municipal de São Paulo promete aprovar antes do carnaval um pacotão contra o desperdício de água. Após um mês e meio de férias, os vereadores retornaram nesta terça-feira, 3, do recesso e devem votar ao menos um projeto de lei sobre o tema já na sessão desta quarta-feira, 4. A expectativa é que a proposta escolhida seja a que prevê multa de R$ 1 mil a moradores da cidade flagrados lavando a calçada ou o carro com água tratada.

    Apresentado pelos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito que investiga desde o ano passado o contrato que a Prefeitura mantém com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o projeto deve sofrer alterações na semana que vem, antes de ser colocado novamente em votação. De acordo com o líder do governo, vereador Arselino Tatto, o Executivo deve colaborar com um texto substitutivo, que incorpore outras medidas e que, provavelmente, reduza o valor da multa.

    A minuta de lei encaminhada pelo governador Geraldo Alckmin a prefeitos da Grande São Paulo propõe multa inicial de R$ 250, após aviso aos moradores. O valor da autuação só chegaria a R$ 1 mil na quinta reincidência. Ontem, o prefeito Fernando Haddad disse que a Câmara tem autonomia para definir o rigor da punição. “Nós apenas vamos repassar o projeto do governo”, afirmou Haddad.

    Antes mesmo do início do debate, representantes do já demonstraram incômodo em aprovar uma lei que multe o cidadão antes de apresentar a ele uma advertência formal. Para Alfredinho, líder do partido na Casa, não é justo penalizar ainda mais o paulistano, que já sofre com a falta d’água. “A população será punida duas vezes dessa forma”, afirma. Paulo Fiorilo também defende a advertência antes da autuação.

    Reúso. Na semana que vem, outras medidas devem ser incorporadas ao pacote contra o desperdício de água na cidade. Os vereadores propõem, por exemplo, alterar o Código de Obras do Município para exigir a instalação de hidrômetros individuais, assim como a utilização exclusiva de água de reúso, em novos prédios da cidade.
    O vereador Mario Covas Neto ainda sugere atrelar a concessão do Habite-se (atestado de conclusão de obra) à presença de uma caixa d’água na construção. E Gilberto Natalini quer que o Município desenvolva um mecanismo para captar a água que resulta da drenagem subterrânea realizada por empresas diariamente na cidade e que acaba sendo despejada nas ruas.

    “Precisamos não apenas de uma multa, mas de um grande pacote da água. E logo, porque o colapso da água está vindo aí. Não conseguiremos evitar se não fecharmos a torneira”, disse Natalini.

    Presidente da Câmara, Antonio Donato pediu ontem aos colegas que apresentem suas propostas sobre o tema a tempo de serem debatidas até o carnaval. A intenção é encaminhar o pacotão para sanção do prefeito Fernando Haddad ainda neste mês.
    França aprova lei que obriga novas edificações a terem vegetação na cobertura
    Postado em 23 de abril de 2015
    O Parlamento Francês aprovou recentemente uma lei que obriga a implementação de coberturas verdes nas novas construções em áreas comerciais de todo o território nacional. A medida tem como objetivo beneficiar os centros urbanos com as qualidades intrínsecas à presença dessas superfícies verdes.

    A lei previa inicialmente que toda a área de cobertura das novas edificações fosse ocupada com jardins, porém, para ser aprovada a medida teve que recuar, estabelecendo que os proprietários possam optar entre a ocupação total ou parcial com áreas verdes e, além disso, a possibilidade de instalar painéis solares em vez de vegetação.

    Coberturas verdes oferecem enormes benefícios ao ambiente urbano; além de atuarem na redução significativa do efeito de “ilha de calor”, elas retém boa parte da água das chuvas, reduzindo o fluxo do escoamento e evitando, assim, problemas de drenagem urbana. Além disso, elas oferecem mais espaços verdes disponíveis aos habitantes da cidade e, inclusive, podem reunir algumas espécies de pássaros.

    Em relação a fontes renováveis de energia e comparativamente a outros países da União Europeia – como a Alemanha, Espanha e Itália – a França tem ficado para trás, com boa parte de sua energia ainda dependendo de fontes nucleares e apenas 4 gigawatts provenientes de energia solar – ao passo que a Alemanha, por exemplo, já produz quase 40 gigawatts a partir de painéis fotovoltaicos.

    Todavia, iniciativas como esta, e a medida para diminuir pela metade o número de carros em circulação em Paris, expõem uma preocupação com a agenda ambiental e mostram que a França está disposta a se tornar um exemplo em estratégias urbanas sustentáveis.

    Referência: Climate Progress
    Lâmpadas multi-coloridas LIFX, de LED
    Postado em 15 de abril de 2015
    As lâmpadas de LED multi-coloridas são controladas por apps mobile. Mas um dos grandes diferenciais da LIFX já pinta aí mesmo: as próprias lâmpadas conectam-se à sua rede local, sem a necessidade de você adquirir um roteador para elas.

    A coisa é tão simples que você mesmo só precisa baixar o aplicativo dela na App Store, abrir este site aqui no seu Mac/PC/tablet e já sair brincando — basta que ambos os dispositivos estejam conectados à mesma rede Wi-Fi.

    De acordo com os responsáveis pela LIFX, ela é capaz de variar entre 16 milhões de cores. Assista ao vídeo e entenda melhor:

    LIFX from LIFX on Vimeo.

    Companhia chinesa constrói arranha-céu de 57 pavimentos em 19 dias
    Postado em 06 de abril de 2015
    Entre o dia 01 e 19 de fevereiro desse ano, uma empresa chinesa de elementos pré-fabricados ergueu, na cidade de Changsa, a torre Mini Sky City, um arranha-céu de 200 metros de altura e 57 pavimentos - isto é, três pavimentos por dia -, com capacidade para 4 mil trabalhadores e 800 apartamentos residenciais.

    Com o histórico de quebrar recordes na construção civil, a Broad Sustainable Building - companhia encarregada da construção do arranha-céu - afirma que 95% dos componentes construtivos do edifício de 180 mil metros quadrados foram pré-fabricados e, posteriormente, montados no local por 1.200 operários.

    Utilizando a menor quantidade possível de concreto no processo de pré-fabricação e montagem, o Mini Sky City conta com um módulo de 60 metros quadrados que reúne as infraestruturas de calefação, eletricidade, água, esgoto e ventilação.


    Conheça o primeiro edifício do mundo cuja energia é gerada por algas
    Postado em 23 de março de 2015
    Na busca por energia limpa e sistemas sustentáveis, a biomassa tem ganhado destaque e não é só Brasil. Em Hamburgo, na Alemanha, um edifício foi revestido com placas especiais, contendo algas capazes de produzir energia. O projeto, que ficou conhecido como BIQ house, foi o primeiro do tipo em todo o mundo.

    Ao todo, 129 painéis de vidro contendo essas pequenas algas foram instalados na fachada do edifício. Como uma espécie de veneziana, as placas ficam na parte externa e podem ser redirecionadas, dependendo da direção da luz do sol. As algas são alimentadas por nutrientes líquidos e dióxido de carbono, a partir de um sistema automatizado. Ao entrarem em contato com a luz do sol, as algas se multiplicam e, ao atingirem determinado estágio, são recolhidas, fermentadas e convertidas em biogás que, por sua vez, é utilizado para fornecer energia para o próprio edifício.

    “O coração deste sistema é um centro de gestão de energia totalmente automatizado onde se colhem as algas e o calor solar em um ciclo fechado que armazena essa energia do calor e a utiliza para gerar água quente“, explicou a Arup, empresa responsável pelo projeto e conhecida por outras obras memoráveis, como o Centre Pompidou, em Paris, e a Sydney Opera House, na Austrália.

    Além da energia limpa, os painéis de algas garantem sombra no verão e auxiliam na manutenção da temperatura dos ambientes e a abafar ruídos da rua. As algas utilizadas são capazes de produzir um volume de biomassa cinco vezes maior do que qualquer outra planta. A BIQ house fez parte da Exposição Internacional da Construção (IA), que aconteceu em 2013.

    Revista Tendências Edição N04
    Postado em 16 de março de 2015
    Das últimas tendências, só fica de fora quem é desconectado! Confira mais uma edição da Revista Tendências.

    8 DE MARÇO - DIA INTERNACIONAL DA MULHER
    Postado em 06 de março de 2015
    Trecho extraído da Carta de Despedida, deixaida pela Elizabeth Goldfarb em agosto de 2004. A arquiteta foi fundadora da Marchi Arquitetura, membro do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea) e recebeu diversas premiações ao longo da vida.
    Choi+Shine Architects apresenta o BIT Light, um sistema modular magnético de iluminação
    Postado em 25 de fevereiro de 2015
    Desenvolvido pelo escritório Choi+Shine Architects, o BIT Light é um sistema modular magnético de iluminação que oferece infinitas possibilidades de configuração que podem ser arranjadas, desconstruídas e reorganizadas em poucos segundos. O principal componente do sistema é o "BIT", um elemento linear de iluminação composto por uma fonte luminosa LED dentro de um tubo translúcido de policarbonato que proporciona proteção e resistência estrutural. Nas extremidades de cada BIT há placas condutoras que se unem magneticamente aos pequenos elementos conectores, oferecendo inúmeras possibilidades de arranjo, seja como um conjunto plano de iluminação de parede ou uma estrutura luminosa tridimensional autoportante.

    Cada BIT adicionado ao conjunto acrescenta 460 lumens, ou seja, quanto mais tubos forem usados, mais intensa será a estrutura luminosa. Além disso, o sistema BIT Light pode ser controlado com um dimerizador padrão, proporcionando ao usuário controle total sobre a quantidade de luz emitida. A energia necessária para o sistema é proveniente de uma tomada de parede (ou teto) de baixa tensão, de aparência similar aos conectores que unem os BITs, ou de uma bateria interna.

    Com conexões magnéticas e sem fios e cabos externos, o sistema pode ser facilmente manipulado por qualquer usuário sem conhecimento técnico. O BIT Light não é apenas fácil de usar como também é seguro, graças aos tubos de policarbonato que não esquentam com as luzes acesas e ao fato dos conectores serem aterrados.

    Atualmente o sistema BIT Light conta com BITs lineares pequenos e conectores cúbicos, no entanto o escritório Choi+Shine Architects já está desenvolvendo novas formas para os BITs e conectores outros tipos de ângulos, o que aumentará ainda mais as possibilidades de configurações.
    Companhia chinesa constrói o edifício mais alto do mundo feito através de impressão 3D
    Postado em 03 de fevereiro de 2015
    Mais uma vez a companhia chinesa WinSun Decoration Design Engineering Co expandiu suas capacidades de impressão 3D. Após construir no ano passado dez casas em 24 horas, agora a empresa propôs construir o edifício mais alto do mundo feito através de impressão 3D - um bloco de apartamentos de cinco pavimentos de altura - e uma mansão de 1.100m² com decoração interna e externa.

    À mostra no Suzhou Industrial Park na província de Jiangsu, os dois edifícios representam novas fronteiras para a construção com impressão 3D, demonstrando seu potencial de criar tipologias mais tradicionais de construção e, assim, mais adequadas para os empreendedores do mercado imobiliário.

    Os edifícios foram feitos com a mesma impressora de 6,6m x 10m que constrói camadas sobrepostas de uma "tinta" composta por uma mistura de fibra de vidro, aço, cimento, endurecedores e dejetos reciclados da construção civil. Com essa tecnologia, WinSun pode imprimir grandes partes dos edifícios, que são posteriormente montadas como peças pré-moldadas de concreto.

    Em uma conferência de imprensa, o engenheiro chefe da China Construction No.8 Engineering Bureau, Ma Rongquan, explicou: "Essas duas casas atendem completamente a todos os padrões nacionais. São seguras, confiáveis, e apresentam uma boa integração de arquitetura e decoração. Mas como não há padrões nacionais específicos para arquitetura de impressão 3D, temos que revisar e melhorar esse padrão para o futuro."
    25 anos
    Postado em 19 de janeiro de 2015
    Conheça o projeto Marina Lofts
    Postado em 19 de janeiro de 2015
    O empreendimento misto, Marina Lofts, no centro de Fort Lauderdale procura infundir um trecho atualmente degradado ao longo do New River com um espaço público bem-sucedido para pedestres, e assim, atrair novos moradores para seu desenvolvimento.
    Totalizando mil apartamentos para locação, mais de 900 metros quadrados de restaurantes e 2.300 para o comércio, o projeto de uso misto está dividido em três fases. A empreendedora sediada na Flórida, Asi Cymbal, espera que o projeto tenha um retorno econômico a longo prazo benéfico à cidade e à comunidade local.
    Situado em um intervalo industrial no parque Fort Lauderdale’s Riverwalk, o Marina Lofts fica junto ao braço final do atual espaço público fragmentado ao longo do New River. O projeto da BIG estrutura o espaço com uma generosa promenade pública amarrada ao sul por 3 séries de torres residenciais, criando uma vida pública ao longo da orla enquanto mantém a existência das atividades da marina de Fort Lauderdale. As duas torres iniciais são tratadas como um edifício contínuo com uma “quebra” no centro que forma a abertura que permite a atividade máxima de pedestres flua entre os edifícios e estenda a vida da cidade para a beira mar.
    Chameleon pen, a caneta que colore fazendo degradê!
    Postado em 08 de janeiro de 2015
    O preenchimento degradê é uma técnica que exige perícia por parte do desenhista, principalmente porque o efeito final entre um tom e outro precisa ser representado com muita sutiliza. Imagina então se existisse uma caneta que lhe ajudasse a cria-lo? Pois é, agora existe! Seu nome é Chameleon Pen. Veja no vídeo abaixo o que ela é capaz de fazer.

    FELIZ 2015
    Postado em 08 de janeiro de 2015
    A Marchi Arquitetura deseja Boas Festas!
    Postado em 18 de dezembro de 2014
    FELIZ DIA DO ARQUITETO
    Postado em 15 de dezembro de 2014
    Conheça alguns dos mais desejados projetos de Miami
    Postado em 15 de dezembro de 2014
    O mosaico de estilos de Miami – do art dêco de South beach às casas mediterrâneas de Coral Gables – Dá origem a uma nova leva de condomínios luxuosos, que prometem verticalizar a cidade e elevar seu perfil arquitetônico: Conheça alguns dos mais desejados para agora e os próximos anos.

    1 | BRICKELL CITY CENTRE
    Um ambicioso projeto que se estende por várias quadras na região do centro financeiro, próximo ao rio Miami. Visa combinar além de torres residenciais, escritórios, hotel, lojas e restaurantes.

    2 | MIAMI BEACH EDITION
    Marco do retorno do empresário Ian Schager a Miami Beach, o empreendimento junta hotel e moradia.

    3 | JADE SIGNATURE
    O primeiro residencial na região nortista de Sunny Isles, a torre promete ser nada menos que monumental.

    4 | BRICKELL FLATIRON
    Com uma torre de 65 andares e com criatividade polivalente do artista Julian Schnabel que fará a ambientação das áreas comuns, este projeto promete ser a atração dos arredores de sua localização.

    5 | ONE THOUSAND MUSEUM
    Desafiando convenções, o projeto traz uma estética peculiar. A torre contará com heliponto, serviço de concierge seis estrelas e até mesmo uma fragrância própria.
    Estudantes criam parede que pretende aposentar o ventilador e até o ar-condicionado
    Postado em 05 de dezembro de 2014
    Esqueça o barulho irritante do ventilador ou a conta de luz turbinada pelo uso constante do ar-condicionado. Um grupo de estudantes espanhóis desenvolvem um produto que
    Trata-se da cerâmica de hidrogênio, um novo material que interage com a temperatura atmosférica. Assim, o produto promete resfriar o ambiente em dias de calor ao passo que isola o espaço no inverno.

    Chamado de hidrocerâmica, a novo material de construção é formado, na verdade, por bolhas de hidrogel que interagem com o meio ambiente. O hidrogel é um insumo tecnológico com capacidade de absorver até 400 vezes sua massa em água.

    Segundo matéria publicada no site de inovações Springwise, o novo material de construção pode ser 'carregado' por água e, em dias de calor, evaporar o líquido refrescante para dentro do ambiente, numa estratagema conhecida pelo corpo humano pelo nome de suor, que refrigera o organismo.

    Em sentido oposto, quando chove e a temperatura torna-se mais amena, as bolhas de hidrogênio são carregadas novamente de água e isolam a construção.

    A ideia toda ainda está mais para o conceito do que para produto em si. Mesmo assim, será que um dia a proposta poderá ser encontrada na loja de materiais de construção da esquina de casa?
    Conheça o apartamento mais caro do mundo avaliado em 475 milhões de dólares
    Postado em 04 de dezembro de 2014
    Desenvolvido pelo Groupe Marzocco, empresa focada em imóveis de luxo, o prédio com 70 apartamentos, espalhados nos 49 andares, tem 170 metros de altura e virá com a premissa de oferecer 'uma experiência cinco estrelas' aos futuros moradores, com chaves em mãos a partir de setembro de 2015. Entre os itens que somente muito dinheiro pode comprar, um concierge à disposição durante 24h por dia, uma área de entretenimento com sala de cinema privada, balada e um centro de bem-estar, que inclui sauna, ginásio, spas privados e uma seleçã de piscinas.

    Já a Sky Penthouse, o apartamento mais caro do mundo, com cinco andares pra ele, terá 3.300 metros quadrados, e entre inúmeras outras coisas, sala de estar, sala de jantar, home-cinema, cinco quartos, uma cozinha por andar (conectadas através de um elevador) e uma incrível piscina infinita com direito a escorregador. A vista de tirar o fôlego será um privilégio para este e outros dois apartamentos duplex de 1.200 metros quadrados.

    Aplicativo permite se desenhar planta apenas ao se caminhar pelo ambiente
    Postado em 19 de novembro de 2014
    BATIZADA DE “ROOMSCAN” E GRATUITA, A FERRAMENTA ESTÁ DISPONÍVEL APENAS PARA O SISTEMA IOS

    O aplicativo “RoomScan” permite que os usuários tirem medidas de qualquer tipo de ambiente ao caminhar por seu perímetro, gerando instantaneamente uma planta baixa com margem de erro de até 5 centímetros para mais ou para menos.

    Desenvolvida pela empresa Locometric, a ferramenta está disponível apenas para o sistema iOS e também conta com uma versão “pro”, que oferece opções para editar medidas e adicionar janelas, portas e escadas a fim de aumentar a precisão da prancha.

    A plataforma explora o hardware embutido no iPhone para “escanear” as inclinações, comprimentos e orientações dos espaços. Para utilizar o aplicativo, basta encostar o aparelho em paredes subsequentes.

    Para mais informações e downloads, acesse: www.locometric.com


    Conheça seis dispositivos criativos que ajudam a economizar água
    Postado em 12 de novembro de 2014
    1 - Vaso sanitário máquina de lavar
    Uma máquina de lavar dentro do banheiro. A água desperdiçada quando lavamos roupa é reutilizada no vaso sanitário mais tarde. Um conceito sustentável de dispositivo de água.

    2 - Guarda-chuva potável
    O “Filterbrella” é um guarda chuva inovador e sustentável, com cobertura de plástico e um filtro de carvão oco em seu cabo. O cabo recebe a água das chuvas, que é purificada pelo carvão ativado. A água flui em uma garrafa ligada ao punho do Filterbrella, produzindo água potável enquanto você está caminhando.

    3 - Pia reutilizadora
    A Hughie Of Australia inventou uma pia de cozinha que armazena a água que iria para o esgoto e poupa 80% da água. Assim, essa água suja que pode ser reutilizada para regar plantas caso não tenha sido misturada com detergente. Se houver mistura, ela pode ser usada para lavar carros, por exemplo.

    4 - Pia Natural
    Uma pia que utiliza a água desperdiçada para molhar um pequeno jardim ou planta.

    5 - Mictório com torneira
    Uma ideia simples: combinar dois itens essenciais de um banheiro. A água da pia é reutilizada na descarga do vaso sanitário. Um vidro opaco e fosco esconde a função secundaria do dispositivo. O resultado é um sistema de reutilização que poupa espaço, tubulação e água.

    6 - Máquina de lavar com chuveiro
    Uma máquina de lavar combinada com chuveiro. A “Wash it” permite que os usuários molhem suas roupas enquanto tomam banho. Com um sistema com bomba única, o chuveiro dá às roupas seu primeiro enxágue. Ao contrario do que possa parecer, não é anti-higiênico, pois é apenas o primeiro ciclo de lavagem do dispositivo. Espera-se que o sistema produza cerca de 150 litros de água para um banho de 15 minutos e os 38 litros utilizados em um ciclo de lavagem.
    Outubro, mês das crianças!
    Postado em 30 de outubro de 2014
    "Hoje eu vou trabalhar com você!" Em comemoração ao mês das crianças, resolvemos abrir as portas da empresa para que os pequenos pudessem conhecer o ambiente de trabalho dos pais e passar um dia cheio de brincadeiras e atividades. Uma equipe especializada acompanhou as crianças, que se divertiram em um dia diferente.
    "Um grande jogo de Lego"
    Postado em 30 de outubro de 2014
    Celebração da superação e da excelência nos esportes, as Olimpíadas também passaram a ser eventos nobres no calendário dos arquitetos à medida que foram crescendo em modalidades e importância. Vitrines de projetos inventivos e experimentações ousadas, as instalações esportivas serviram de palco para espetáculos de poder e opulência, traduzidos sobretudo nos estádios: o de Sydney, em 2000, tinha 110.000 lugares, o maior já erguido; o de Atenas, em 2004, exibia um teto retrátil em arco assinado pelo prestigiado espanhol Santiago Calatrava; o de Pequim, em 2008, era um primor de graciosidade e leveza na forma que lhe deu nome, o Ninho de Pássaro. Foi espetacular enquanto durou, mas durou pouco — a maioria transmutou-se no temido elefante branco. Lição aprendida, agora os tempos são outros, e muito mais contidos.

    As obras no Rio de Janeiro, que começam a deixar as pranchetas, já são um espelho da era da contenção. Em 2016, o “estádio olímpico” será o bom e velho Maracanã, rejuvenescido pela reforma pré-Copa do Mundo. Seguindo uma tendência iniciada nos Jogos de Londres, o design predominante é o da desconstrução: estruturas que podem ser desmontadas completamente ou rearranjadas e remanejadas conforme a necessi­dade. “No mundo esportivo, as obras grandiosas estão cedendo lugar a projetos que sejam reaproveitáveis ao máximo. A nova ordem é: make your assets sweat — faça com que as construções suem tanto quanto os atletas nas competições; elas precisam ter múltiplos usos”, explica o arquiteto Adam Williams, da inglesa Aecom, que concebeu o projeto do parque olímpico carioca.

    Plenamente encaixado nessa concepção, o centro aquático, assinado pela alemã GMP, é uma das maiores estruturas esportivas desmontáveis já erguidas no mundo, com seus 14.000 metros quadrados e capacidade para 18 .000 espectadores. Ele não terá sistema de ar condicionado, só ventilação natural, canalizada por uma fachada sem paredes — serão 492 canos verticais dispostos a 1 metro de distância um do outro — e por furos nos degraus das arquibancadas, um esquema inovador testado em maquetes submetidas a túneis de vento. Os acessos saem da chamada via olímpica, uma espécie de passarela que percorre todo o terreno. No parque aquático, como nas demais instalações, não há elevadores para o público em geral. Compostas de módulos metálicos, as duas piscinas, uma oficial e a outra de aquecimento, vão ser desmontadas e reconstruídas em outros locais; da mesma forma, os tubos e demais componentes da estrutura vão ser armazenados e reutilizados, mas ainda não têm destino certo — este, aliás, um aspecto da etapa pós-­Jogos a ser acompanhado com toda a atenção. “Nossa grande preocupação era projetar um edifício ao mesmo tempo bonito e funcional. Os tubos formam um desenho que imita as ondas do mar e dão uma ideia de leveza”, descreve o arquiteto alemão Ralf Amman, da GMP. É dela também o projeto do centro de tênis, igualmente com tubos na fachada e linhas onduladas.

    O centro aquático faz parte do parque olímpico de 1 milhão de metros quadrados (a metade do equivalente londrino), instalado em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. “É um parque compacto”, diz Williams, da Aecom. “Para que coubesse tudo, inclusive áreas de convivência e de circulação agradáveis, planejamos os espaços como se fossem as engrenagens de um relógio.” Além das piscinas, o espaço abriga o velódromo, a quadra de handebol, o centro de tênis e um conjunto de três arenas multiúso (onde, para poupar terreno, as costas de uma arquibancada são coladas às de outra, separadas apenas por um sistema de isolamento acústico).

    Só o velódromo — que lembra um capacete de ciclismo e acomoda 5.000 pessoas — é obra 100% definitiva, que permanecerá como está. O centro de tênis e as arenas terão as dimensões drasticamente reduzidas, para se adequar à demanda da cidade. A quadra de handebol também vai sumir da paisagem — que passará a integrar, junto com a vila olímpica (onde estão as acomodações dos atletas), um bairro novo no Rio de Janeiro. Fruto dessa arquitetura nômade, a arena é feita em blocos que serão desmontados e, em boa parte, já têm destino definido: vão compor a estrutura de quatro novas escolas municipais. “Foi praticamente um exercício de peças de Lego. Tivemos de projetar tudo no tamanho certo, ir e voltar no planejamento várias vezes”, conta o arquiteto-chefe Gilson Santos. Outra preocupação foi contratar a mesma empresa de engenharia para montar, desmontar, transportar, armazenar e depois remontar a instalação em outro local. A ideia é garantir que as peças sobrevivam incólumes às idas e vindas.
    Caneta inovadora permite transferir anotações e desenhos diretamente de um caderno para o iPad
    Postado em 29 de setembro de 2014
    Anotar os tópicos de uma reunião ou uma matéria importante da faculdade no papel é fundamental. Contudo, não é raro que essas informações acabem se perdendo. O meio digital mostra-se um bom aliado nessas horas, mas digitar ou desenhar no celular ou tablet nem sempre é confortável. Por isso a tecnologia da Livescribe Smartpen e do Livescribe Notebook Moleskine é tão incrível.

    Essa dupla de caneta e caderno inteligentes permite que tudo o que for escrito ou desenhado no papel seja automaticamente digitalizado no iPad.

    A Livescribe Smartpen funciona como uma caneta comum, com a qual você escreve em qualquer superfície de papel. A diferença está na tecnologia que vem com ela: uma câmera infravermelha, um processador ARM e um chip Bluetooth permitem escanear instantaneamente tudo o que é escrito e enviar os dados para uma tablet ou smartphone.

    Para que o scanner e o aplicativo da Livescribe funcione corretamente, é preciso usar a caneta com alguns papéis específicos, que apresentam as dimensões corretas de linha, a fim de manter a proporção. É aí que entra o Livescibre Notebook, criado pela famosa Moleskine.

    O caderno, além de trazer as dimensões corretas para o funcionamento da Livescribe Smartpen, possui ainda três pequenos ícones na parte inferior das folhas. Com eles, é possível sincronizar gravações de voz com as anotações. Ao colocar a caneta no primeiro ícone, o iPad dá início à gravação. Assim, você pode acompanhar o desenho explicativo e os direcionamentos em voz quando for estudar para uma prova, por exemplo.

    Entenda melhor como essa incrível tecnologia funciona com o vídeo e as fotos abaixo:

    Só para corajosos: arquitetos projetam casa de cinco andares pendurada em um penhasco
    Postado em 18 de setembro de 2014
    Você superaria seu medo de altura pela chance de acordar todos os dias à beira do oceano? A empresa de arquitetura Modscape criou uma casa modular de cinco andares que pode ser anexada a penhascos, transformando o modo com que você encara o conceito de casa.

    O conceito busca seguir os padrões da natureza, funcionando como uma espécie de extensão do penhasco. Ao todo, são cinco andares, com direito a quarto, sala, cozinha e banheiro. No primeiro piso, há uma conexão com o penhasco, por onde se dá a entrada da casa, com direito a um espaço de estacionamento. No piso mais baixo, próximo ao oceano, há um espaço de lazer externo, com jacuzzi e uma cozinha extra.
    Como uma cidade suíça transformou um viaduto antigo em um espaço de cultura e lazer
    Postado em 10 de setembro de 2014
    Antigamente, quando alguém usava a expressão “debaixo da ponte”, logo vinham à nossa cabeça imagens de miséria e degradação. Mas muitas cidades têm dado exemplos de como transformar pontes e viadutos urbanos em espaços amigáveis para seus habitantes. E Zurique é uma delas.


    Construído no século XIX, o Im Viadukt fica bem no meio da metrópole suíça. Por cima dele passa uma das principais linhas férreas da cidade. E, debaixo da ponte, uma inovadora galeria comercial a céu aberto vem desde 2010 atraindo mais e mais visitantes.

    Boutiques, lojas de design, mercadinhos e uma boa variedade de pequenos restaurantes ocupam os arcos inferiores do viaduto. Ao invés de grandes marcas globais, os escolhidos para expor no local são empresas pequenas e criativas da região. O governo cobra preços acessíveis para o aluguel dos espaços e, em troca, os donos contribuem socialmente com a cidade. Uma das formas é contratando pessoas com mais dificuldades de encontrar colocação profissional, como portadores de deficiência e jovens desempregados.

    Se visitar Zurique estiver nos seus planos de viagem futuros, vale dar uma passadinha por lá para conhecer. Você pode pegar um metrô e descer na estação Hardbrücke ou mesmo fazer um tour pelo bairro onde o Im Viadukt está localizado.
    Revista Tendências Edição N03
    Postado em 03 de setembro de 2014
    A Revista Tendências chega a sua 3ª edição com muito mais novidades! Confira!

    Conheça a parede que respira
    Postado em 25 de agosto de 2014
    Esqueça as construções convencionais, pois aqui temos algo surpreendente. Os arquitetos Frank Barkow e Regine Leibinger ousaram e criaram uma parede que respira, mostrada na exposição Elementos, de Rem Koolhas na Bienal de Veneza de 2014. A ideia é levar a arquitetura para um nível totalmente novo, criando uma parede que ondula mecanicamente dentro e fora através do que os arquitetos descrevem como “picos e vales”.

    Na verdade, a chamada “Kinetic Wall” é um protótipo de difusor de ar, com estrutura que funciona como uma câmara de pressão mecânica. Ou seja, talvez ela seria capaz de modular sistemas de ventilação em edifícios, fazendo com que a arquitetura se mova, cineticamente.

    A superfície é ativada por uma série de pontos motorizados em um tecido sintético elástico e translúcido que fazem movimentos de extensão e retração. O movimento controlado digitalmente cria uma coreografia interessante e constante desses “picos” que existem na parede, formando uma topografia diferente.

    Uma estrutura de madeira laminada leve abriga os mecanismos de pressão mecânica e ancora o tecido, criando uma saída de ar surpreendente e uma experiência artística única aos visitantes da exposição. A ideia também é sustentável, pois explora tecidos reciclados e materiais naturais.

    O vídeo abaixo mostra como a Kinetic Wall funciona:

    "Kinetic Wall" by Barkow Leibinger / filmed by Iwan Baan from Barkow Leibinger on Vimeo.

    Bloomframe, uma inovadora janela que vira uma sacada!
    Postado em 14 de agosto de 2014
    Bloomframe é o nome desta janela revolucionária, que pode virar uma varanda na hora em que você precisar.

    Para transformar a sua janela em uma sacada você só precisa pressionar um botão, e cerca de 15 segundos depois a janela se transformará em uma varanda com uma superfície de vidro. Com o espaço criado, duas pessoas podem desfrutar do ar livre confortavelmente. A construção do Bloomframe é extremamente sólida e possui um design elegante e transparente.

    A janela/sacada pode ser usada em diversos ambientes. Pode ser facilmente colocada em apartamentos e hotéis, que poderiam adicionar um terraço para os seus quartos de luxo.

    A Bloomframe poderá ser ajustada de acordo com o cliente, com a inclusão de materiais personalizados e a opção de trocar o chão de vidro por um não transparente, caso você se incomode com os seus vizinhos de baixo olhando para cima.

    Essa é uma ideia inovadora, e que pode acabar desempenhando um papel significativo no mercado imobiliário no futuro.


    Marchi Arquitetura um projeto de sucesso em Olinda
    Postado em 04 de agosto de 2014
    A Marchi mais uma vez, mostra toda sua expertise em um complexo que vai mudar o entorno de Olinda, agregando valor a paisagem e à nossa marca com projetos na cidade.
    Na noite do dia 29, foi a festa de lançamento do Patteo Olinda Shopping – empreendimento do Grupo pernambucano Celso Muniz (CM) e da paulistana HBR Realty, projetado pela Marchi Arquitetura.
    O mall, que terá um investimento de R$ 500 milhões, abrigará 355 lojas que estarão espalhadas em mais de 130 mil metros quadrados.
    O prefeito de Olinda, Renildo Calheiros, se mostrou bastante feliz com a realização do projeto. “Hoje é um dia de muita alegria para a nossa cidade. Esse é um momento pelo qual Olinda, esperou muitos anos. Esse shopping vem para preencher uma grande lacuna."
    Além do shopping, a Marchi Arquitetura será responsável por um projeto inovador para a região, complementando o entorno com Empreendimento Residencial, Hoteleiro e um Mall. Indo de encontro a uma necessidade da economia da cidade, para seu desenvolvimento.


    Este bairro na Alemanha é capaz de produzir quatro vezes mais energia do que a que consome
    Postado em 31 de julho de 2014
    Das formas de obtenção de energia elétrica, com certeza a energia solar está entre a mais limpa, segura e abundante que conhecemos. Sabendo desse potencial imenso, um vilarejo em Friburgo, na Alemanha, conhecido como Schlierberg, nos mostra que realmente eles entendem e levam a sério o tema sustentabilidade.

    O local é composto de 59 residências feitas de madeira e construídas apenas com materiais ecológicos, em uma área de 11 mil m² (há ainda um edifício comercial, chamado de Sun Ship – Navio Solar). A população pratica o reuso de água de chuva, usa materiais ecológicos, isolamento térmico a vácuo e um ambiente livre de carros, pois todos ficam em um estacionamento no Sun Ship.

    A característica que mais chama a atenção em Schlierberg é sua autossuficiência energética. Extremamente bem projetada, a vila tem telhados feitos com placas fotovoltaicas dispostos na direção correta, que como resultado geram cerca de 4 vezes mais energia elétrica do que o necessário para consumo próprio.

    Tamanha eficiência proporciona a não emissão de aproximadamente 500 toneladas de CO2 na atmosfera, segundo dados do próprio arquiteto, que projetou também para que cada casa tivesse uma cobertura simples, com beirais largos, que permitissem a presença do sol durante o inverno e protegessem as casas durante o verão.
    CityEngine: modelagem e planejamento urbano!
    Postado em 22 de julho de 2014
    AutoCAD, CorelDraw ou até mesmo SketchUp é coisa do passado. O Planejamento Urbano pode ser feito pelo Cityengine. Ele permite análises e testes estatísticos, criando-se, através de cenários, soluções diversas para problemas diagnosticados no complexo contexto urbano. O pacote CityEngine, permite modelagens sofisticadas no planejamento urbano.

    Essa fantástica casa feita com 31 containers prova que é possível unir sustentabilidade com muito bom gosto
    Postado em 10 de julho de 2014
    Formada por nada menos que 31 containers, esta casa localizada em Graceville, na Austrália, é um belo exemplo de como o estilo industrial pode ser usado para tornar um local moderno e, ao mesmo tempo, aconchegante.

    Os 560 metros quadrados construídos abrigam 4 suítes, uma biblioteca, um escritório, sala de ginástica e uma piscina. A obra e toda a decoração do espaço foram pensados por Todd Miller, do ZeilgerBuild, e a obra foi executada em pouco mais de 5 meses. Além do aço dos containers, está presente na casa a madeira – tudo com muita luz natural vinda das janelas abertas no aço.

    Na parte externa lateral e no interior da casa, o uso do graffiti é uma constante. As pinturas de rua estão sempre presentes em containers que ficam em portos e a ideia de trazer este elemento para a casa torna o material mais realista e garante à construção um ar moderno e descontraído. A textura do metal e a madeira juntas compõe uma identidade única ao espaço, que com certeza é uma fonte de inspiração.

    Construção feita com robôs aponta para novas possibilidades arquitetônicas
    Postado em 01 de julho de 2014
    Em vez de vigas e concreto, madeira. Em vez de operários, robôs. O Landesgartenschau Exhibition Hall, construído pela Universidade de Stutgart, na Alemanha, é a primeira construção a ser criada com a ajuda de computadores e robôs, o que torna o trabalho mais simples, preciso e rápido.

    A estrutura contém dois domos e uma parede em vidro e foi projetada de forma que as placas de madeira se interconectem sem que haja a presença de outros elementos, como em um verdadeiro quebra-cabeça. Ao travar-se com pinos, a construção se mantém estável, sem que haja a necessidade de colunas, por exemplo. Ao todo, são 243 peças de madeira com 50 mm de espessura, cortadas por robôs industriais em um local externo. Isso permite que uma estrutura como essa seja criada e montada em até 4 semanas – tempo muito menor em relação ao processo manual.

    Segundo os acadêmicos responsáveis pelo projeto do Landesgartenschau Exhibition Hall, o experimento não garante apenas uma forma mais rápida de criar estruturas, mas abre espaço para novos rumos arquitetônicos.

    Assista ao vídeo e confira como a construção foi feita:

    Landesgartenschau Exhibition Hall from ICD on Vimeo.



    Duas Torres
    Postado em 25 de junho de 2014
    Conhecido como "Reforma Towers", complexo terá duas torres que vão contar com um hotel, escritórios, restaurantes e academia.
    Interligados pela base, os dois edifícios foram projetados com alturas distintas: um com 40 e outro com 27 andares. Segundo o escritório, a fachada e formato das novas torres estarão em completa sintonia com os edifícios vizinhos já existentes. “A concepção geral do projeto considera as limitações atuais da cidade, porém está aberta a possibilidades de desenvolvimento e mudança de seus arredores no futuro”, diz o comunicado do escritório.
    O projeto tem como principal objetivo se tornar um centro urbano para as atividades de trabalho e lazer. “Cada componente está sendo projetado levando em consideração os detalhes das áreas públicas, da cidade e da luz natural”.

    Na maior das torres, há um espaço vazio no centro do edifício, isso foi pensado, além da beleza, para permitir a entrada da luz natural no ambiente interno.
    Primeira casa feita a partir de uma impressora 3D será construída em Amsterdã
    Postado em 13 de junho de 2014

    “A indústria da construção é uma das mais poluentes e ineficientes que existem,” aformou Hedwig Heinsman, do escritório Dus Architects. “Com a impressão 3D, o desperdício é zero, os custos de transporte são reduzidos, e tudo pode ser derretido e reciclado, revolucionando o modo como fazemos nossas cidades. O Dus Architects desenvolveu o KamerMaker, uma impressora 3D grande o bastante para imprimir pedaços de edifícios de até 2m x 2m x 3,5m, feitos com hotmelt, uma mistura de bioplástico. Os pedaços podem ser empilhados e conectados como peças de LEGO, formando casas de vários pavimentos.

    3D Print Canal House from 3D Print Canal House on Vimeo.


    Marchi - Arquitetura de Solução
    Postado em 04 de junho de 2014
    AS FORMAS NOVAS DE NIEMEYER | Exposição “Oscar Niemeyer: clássicos e inéditos”, no Itaú Cultural
    Postado em 04 de junho de 2014
    Um dos personagens mais influentes da arquitetura moderna mundial, Oscar Niemeyer será homenageado pelo Itaú Cultural através da exposição “Oscar Niemeyer: clássicos e inéditos” - uma seleção de projetos e materiais raros sobre obras clássicas, além de fotografias e maquetes - que abre suas portas amanhã, 04 de junho.

    Com curadoria de Lauro Cavalcanti e expografia de Pedro Mendes da Rocha, além dos trabalhos em si, a mostra examina o processo de criação de Niemeyer, possibilitando uma percepção única de sua produção.

    Os desenhos de Oscar Niemeyer provêm, em sua grande maioria, de cadernos de trabalhos não executados. Eles nos permitem ver a metodologia do arquiteto e entender um pouco mais de seu modo de conceber, desenhar, escrever e, em alguns casos, acompanhar o desenvolvimento dos projetos. A Fundação Oscar Niemeyer realizou a digitalização de 4.800 desenhos e croquis originais de seu acervo, e parte desse material está presente na mostra.




    Oscar Niemeyer: clássicos e inéditos


    Data: de 5 de junho a 27 de julho de 2014
    Abertura: quarta 4 de junho às 20h
    Horário: terça a sexta das 9h às 20h; sábados, domingos e feriados das 11h às 20h
    Local: Itaú Cultural
    Endereço: Avenida Paulista, 149, São Paulo - SP
    Entrada franca



    Via: Itaú Cultural
    Novo aplicativo do Morpholio Project mede a reação humana ao ambiente construído
    Postado em 20 de maio de 2014
    Smartphones são projetados para coletar uma variedade de dados pessoais, desde localização e orientação até a paisagem e som. Mas e se estes dispositivos fossem capazes de acompanhar a nossa reação direta ao ambiente construído?

    Os arquitetos e acadêmicos por trás do Morpholio Project tem pesquisado de que forma dados biométricos como eletroencefalograma (EEG), eletromiografia (EMG), reconhecimento facial e medição de pulso, poderiam ser usados para quantificar o impacto físico de uma imagem no corpo humano. Se voltando para a indústria médica, a Morpholio estudou as capacidades de fotopletismografia (PPG) e imaginou de quais maneiras ela poderia ser integrada com o smartphone.

    Com um encaixe simples, impresso em uma máquina 3D, o iPhone pode ser transformado em uma máquina de pressão arterial em miniatura que registra as alterações da frequência cardíaca de um usuário enquanto fotografa seus arredores. Ao rastrear a resposta emocional única de um indivíduo com relação ao que ele está vendo e experimentando, a Morpholio acredita que pode promover o desenvolvimento da tecnologia relacionada ao processo de projeto.


    Biofeedback para Projetistas


    A equipe Morpholio queria ver se poderia quantificar o impacto físico de uma imagem sobre o corpo humano. As reações que nossos corpos apresentam quando se envolvem com o mundo pode refletir nossos estados e avaliações internos. Fomos encontrar maneiras de tocar em esses sinais com a investigação sobre os dados biométricos, incluindo EEG, EMG, reconhecimento facial e medição de pulso. "Como uma extensão da nossa pesquisa, queriamos ver se poderíamos gravar os batimentos cardíacos em relação ao que estava sendo visto e experimentado.", Diz Toru Hasegawa, co-criador.

    A Morpholio voltou-se para a medicina para entender como ela mede o fluxo de sangue através de uma técnica chamada fotopletismografia (PPG). A PPG mede o pulso ao tirar fotos de uma região iluminada da pele de forma periódica. A câmara lê pequenas alterações na cor em função do fluxo de sangue através da pele. É possível realizar esta técnica através de um iPhone; dado o posicionamento da câmera e do flash, foi cientificamente comprovado que telefones celulares captam batimentos cardíacos de forma precisa. Em nosso aplicativo, imagens únicas piscam na tela, conforme as alterações da frequência cardíaca do usuário são registradas, seguindo assim sua resposta visceral às imagens. Após algumas iterações, desenvolvemos um encaixe, feito com uma impressora 3D, adequado para o iPhone que indica como colocar o dedo corretamente no dispositivo e bloqueia a luz externa, par anão interferir na leitura da câmera.

    Morpholio R&D from The Morpholio Project on Vimeo.

    SOLUÇÃO E INOVAÇÃO : PROJETO DA MARCHI EM PARCERIA COM A BKO SURPREENDE O MERCADO POR APARTAMENTOS SUPERCOMPACTOS.
    Postado em 13 de maio de 2014
    Um projeto diferente, desde sua concepção. O desafio: Fazer algo inovador, que correspondesse ao estilo de vida jovem dos potenciais moradores através de soluções viáveis simples e elegantes.
    As 65 tipologias diferentes são usadas para formar um jogo de movimentos frontais dos terraços que avançam e recuam. As limitações de recuos laterais foram aproveitadas para um escalonamento que trás dinamismo e diferencial para a torre.
    A fachada além de ter o movimento volumétrico frontal conta com um jogo de cores vibrantes que recortam o edifício horizontalmente. O grafite no acesso de pedestres também faz referência ao público-alvo desse empreendimento que conta com 265 unidades de apenas 17m².
    SKYGARDENS
    Postado em 05 de maio de 2014
    SkyGarden é simplesmente a melhor solução para telhados verdes e jardins verticais. Criado por japoneses em laboratório, o SkyGarden é uma terra modificada, um substrato. Ele dispensa os derivados de petróleo, elimina a pegada ecológica* e suporta diversas espécies de plantas. Torna o telhado verde mais completo e menos complexo. Sua instalação é mais fácil, necessitando apenas de um forro. Com uma espessua de 4 a 20cm, o SkyGarden forma um fino tapete que substitui toneladas de terra comum, permitindo o plantio de grama até árvores com 4 metros de altura. Além disso ele consegue diminuir a temperatura da laje do edifício em até 18ºC.

    * Pegada Ecológica é o impacto, rastros ou as consequências deixadas pelas atividades humanas no meio ambiente.
    As dez melhores casas dos EUA em 2014, segundo o Instituto Americano de Arquitetos
    Postado em 28 de abril de 2014
    Sustentabilidade, design, conforto e praticidade são alguns dos itens levados em conta pelo juri

    Todo ano o Instituto Americano de Arquitetos (American Institute of Architects) escolhe as construções residenciais com melhor design dos Estados Unidos.

    A seleção leva em consideração pontos como praticidade no dia-a-dia, qualidade de vida, e respeito aos recursos naturais (sustentabilidade).

    Colaboração: Fernanda Querido
    O Edifício ovo na China - Centro Nacional de Artes Cênicas
    Postado em 22 de abril de 2014
    O ovo, mais formalmente conhecido como o Centro Nacional de Artes Cênicas (NCPA) está localizado em Pequim, na China. Tecnicamente, é uma cúpula elíptica de titânio e vidro cercada por um lago artificial em meio a um vasto espaço verde.
    O edifício acomoda 5.452 pessoas em três salas e possui 12.000 metros quadrados. Foi projetado pelo arquiteto francês Paul Andreu. A construção começou em dezembro de 2001 e o concerto inaugural foi realizado em dezembro de 2007.

    POLÊMICA
    A localização a oeste da Praça Tiananmen, próxima ao Grande Salão do Povo, e perto da Cidade Proibida, combinado com um design futurista do teatro, criou controvérsia. Paul Andreu rebateu que embora exista valor na arquitetura antiga tradicional chinesa, Pequim também deve incluir uma arquitetura moderna, como a capital do país. Seu design com grande espaço aberto, água e árvores, foi especialmente concebido para complementar as paredes vermelhas de edifícios antigos a fim de se destacar contra eles.

    O EXTERIOR
    A cúpula possui 46 metros de altura. O exterior apresenta um material de integração engenhosa de mais de 18.000 placas de titânio e mais de 1.000 folhas de vidro ultra-branco, conhecido por sua alta taxa de transmissão de luz.
    FACHADAS PELO MUNDO | ABSOLUTE WORLD
    Postado em 14 de abril de 2014
    Estes arranha-céus residenciais com perfil voluptuoso foram construídos no maior subúrbio de Toronto. Com varandas contínuas e elípticas, seus 56 andares parecem dançar e torcer, cada um em torno de seu próprio eixo em 209 graus a partir da base para o topo.
    Reading between the lines | Projeto de Gijs Van Vaerenbergh
    Postado em 07 de abril de 2014
    Reading between the lines é um projeto pela dupla Gijs Van Vaerenbergh, dois jovens arquitetos belgas Pieterjan Gijs e Arnout Van Vaerenbergh.
    Dependendo do ponto de vista do espectador, a igreja é percebida como um enorme edifício, ou se dissolve - parcial ou totalmente - na paisagem. Os espectadores que olham de dentro da igreja para o exterior, por outro lado, assistem a um jogo abstrato de linhas que remodela a paisagem circundante. Daí seu título, "Lendo nas entrelinhas", em outras palavras: a igreja faz a experiência subjetiva da paisagem visível, e vice-versa.
    Ainda sem função bem definida, a igreja se concentra em experiência visual em si podendo até ser considerada uma linha de desenho no espaço.
    FACHADAS PELO MUNDO | CHAPAS PERFURADAS | SIPOPO CONGRESS CENTER
    Postado em 31 de março de 2014
    Ainda em clima de Chapas Perfuradas, conheça o Sipopo Congress Center, localizado na costa oeste da África na República da Guiné Equatorial. O projeto possui uma textura rendada da malha que funciona como uma "blindagem" que flui em torno do edifício, protegendo o interior e reduzindo o calor, a fim de melhorar a eficiência energética do edifício.
    O edifício funde visualmente com o mar e a vegetação circundante em serenidade, refletindo a beleza da paisagem.
    Através da colocação de painéis de metal com variações em diferentes níveis e ângulos, a fachada é percebida como uma variedade de geometrias lúdicas brilhando com a luz do dia, ecoando não apenas as cores e tons, mas também os movimentos dos ventos e das ondas.
    Chapas Perfuradas - Tendência das fachadas
    Postado em 25 de março de 2014
    Atualmente se produz uma diversidade de folhas de metal perfuradas e em relevo, conhecidas como chapas perfuradas, elas são utilizadas tanto para fins técnicos como decorativos e são fabricadas sob medida para as especificações e expectativas do cliente. Arquitetos tendem a usar as folhas de metal para sistemas de proteção do sol , fachadas decorativas, revestimento de paredes interiores, escadas de longarina ou como piso, alguns exemplos para citar apenas algumas aplicações possíveis.
    Hospital na Cidade do México tem fachada que purifica o ar.
    Postado em 21 de março de 2014
    Construído na Cidade do México, o Hospital Manuel Gea Gonzalez ganhou uma fachada capaz de purificar o ar poluído da capital mexicana. A obra sustentável, que chama atenção pelo design arrojado, pode ser uma das mais importantes soluções de arquitetura sustentável no mundo.

    Com formato inspirado nas colmeias de abelhas, a fachada sustentável é composta por placas dupla-face superfinas, revestidas de dióxido de titânio. Ao reagir com a luz do sol, este material neutraliza a poluição do ar. Assim, se o mesmo sistema for instalado em outros locais do planeta, também será capaz de diminuir os níveis de gás carbônico e outras toxinas lançadas na atmosfera.




    As cores invadem as fachadas
    Postado em 11 de março de 2014
    Formas, volumes, traços, função e beleza – muitos são os elementos que compõem a arquitetura. A cor, entretanto, é quase sempre aquilo sobre o que as pessoas mais comentam, seja pela alegria que transmite, seja por promover uma quebra com o panorama monótono e opaco das cidades contemporâneas. Confira 4 edifícios que são verdadeiros arco-íris!

    1 | Sugamo Shinkin Bank, Shimura Branch, Tóquio, Japão
    Autor: Emmanuelle Moureaux
    As placas horizontais que compõem a fachada desta agência bancária em Tóquio são revestidas com painéis luminosos que, durante o dia, exibem uma delicada combinação cromática, e, à noite, um vigoroso jogo de luz e cor.

    2 | Conjunto residencial Manzana Perforada, Madri
    Autor: Amann-Canovas-Maruri
    Manzana Perforada é um raro exemplo de conjunto habitacional que consegue ter, a um baixo custo, beleza e funcionalidade. Organizado ao redor de um pátio interno, o edifício estrutura-se em concreto, mantendo a área comum totalmente aberta e revestindo com chapas metálicas de cores diferentes cada uma das unidades residenciais.

    3 | ARoS Aarhus Kunstmuseum, Aarhus, Dinamarca
    Autor: Schmidt Hammer Lassen Architects
    Situado no topo do principal museu de Aarhus, a segunda maior cidade da Dinamarca, o volume circular tem uma combinação de fechamentos de vidros coloridos que produzem diferentes efeitos cromáticos e de luz, tanto para quem está dentro dele quanto para quem está fora.

    4 | Museu de Arte Contemporânea de Castilla y León, León, Espanha
    Autor: Luis M. Mansilla and Emilio Tuñón
    Painéis de vidro colorido revestem a fachada do museu. O restante da construção é feito de concreto aparente, material que impõe elegância ao conjunto e complementa a divertida fachada do prédio de seis andares, que se converteu em um dos principais pontos turísticos da cidade.

    Revista Tendências Edição N02
    Postado em 24 de fevereiro de 2014
    Confira a 2ª edição da revista Tendências, com muito mais conteúdo e novidades. Sempre trazendo as últimas tendências do mercado imobiliário para que você fique sempre inspirado.

    A hora e a vez dos compactos
    Postado em 24 de fevereiro de 2014
    Há 6 meses a Marchi lançou a revista Tendências falando sobre imóveis compactos, com dicas de espaços e decoração antevendo como este modelo ganharia espaço no mercado imobiliário.
    Neste domingo a Folha de São Paulo divulga matéria, reforçando a ideia.

    SETIN AQUIDABAN - Um projeto com assinatura Marchi
    Postado em 21 de fevereiro de 2014
    O complexo multiuso SETIN AQUIDABAN composto por 02
    torres, uma residencial com serviços e outra agregando no
    mesmo edifício, Hotel e escritórios, busca a articulação espacial conectando o empreendimento à cidade de forma fluida com linguagem contemporânea, refletindo o modo de vida dinâmico e cosmopolita do morador.

    Incrível, moderno e tecnológico, conheça o Eco Cycle, a solução mais rápida e segura de estacionar sua bicicleta
    Postado em 07 de fevereiro de 2014
    Por causa da crônica falta de espaço em Tóquio, capital do Japão, os japoneses desenvolveram um sistema revolucionário para guardar suas bicicletas. Através de um grande depósito subterrâneo, com 11,5 metros de profundidade, qualquer cidadão pode simplesmente depositar seu veículo em um elevador, que automaticamente aloja-a em uma das 204 vagas disponíveis do bicicletário.

    Cada bicicleta possui um chip, cujos dados também são armazenados no cartão do usuário, portanto ele é usado para guardar e retirar o veículo. Em menos de 10 segundos você pode ter de volta sua bicicleta, que ficou segura da variação de temperatura, e protegida. Intitulado de “Eco Cycle“, o sistema é resistente a terremotos e inclui seguros contra roubos e vandalismos

    Centro Empresarial Aquarius - Mais um projeto Marchi Arquitetura
    Postado em 30 de janeiro de 2014
    Com arquitetura imponente e moderna, o projeto mira empresários da região; Complexo imobiliário no Jd. Aquarius, em S. José, vai abrigar 600 salas comercias até 2018.

    Com três torres, 644 salas comerciais e um mall com 26 lojas, deve atrair novos negócios para o Jardim Aquarius, em São José, a partir deste ano. Trata-se de um empreendimento ousado de 23 andares, com o início das obras previsto ainda para este ano.

    O projeto oferece salas comercias com metragens pequenas, a partir de 32 m², até espaços mais amplos de 499 m².

    Cada comprador terá disponível uma vaga de garagem, com direito ao serviço de manobrista. O Centro Empresarial Aquarius fica ao lado do novo Fórum, próximo à Justiça Federal e Justiça do Trabalho, com fácil acesso a vários pontos da cidade. Além disso, no entorno há importante infraestrutura de comércio e serviços.

    O Centro Empresarial Aquarius possui um projeto arquitetônico inovador e imponente, que segundo o diretor de vendas da Helbor, tem tudo para impulsionar e valorizar diferentes negócios.

    O projeto atende uma necessidade do bairro, facilitando a vida de quem mora no Jardim Aquarius e não quer atravessar a cidade para trabaIhar. Por isso, é voltado para empresários e investidores.

    O complexo é assinado por Wilson Marchi (arquitetura), Janaína Leibovitch (arquitetura de interiores) e Benedito Abbud (arquitetura paisagística).
    Botânico viaja pelo mundo construindo jardins verticais em diversas cidades
    Postado em 23 de janeiro de 2014
    O projeto revolucionário do botânico francês Patrick Blanc consiste em implementar vegetação em fachadas e paredes de vários edifícios espalhados pelo mundo, criando jardins verticais que alteram a paisagem e a relação entre pessoas e natureza.
    Como pode ver nas fotos, os jardins verticais podem ser instalados tanto no exterior, nas várias cidades do mundo por onde Blanc passa, como no interior dos edifícios.
    Lançamento nova marca - Marchi Arquitetura de Solução
    Postado em 14 de janeiro de 2014
    A nova marca chega para reforçar o propósito de encontrar soluções criativas na realização dos projetos, agregando valor e evidenciando a essência Experiente, Precisa e Solucionadora.
    Para assistir o vídeo clique em - Para mais informações.
    Postado em 13 de dezembro de 2013
    Postado em 13 de novembro de 2013
    Sentimos a necessidade de inovar, evoluir. É com essa premissa que nossa marca entra em uma nova etapa da sua história.

    Como empresa, a Wilson Marchi Egc Arquitetura, teve papel decisivo na arquitetura urbana brasileira. Aprendemos com o passado e pensamos no futuro. Por esses motivos compartilhamos a nova marca; Marchi Arquitetura de Solução para que o mercado perceba nossa proposta inovadora, atual e diversificada.

    Mais que um novo desenho, a Marchi é o reflexo da maneira ousada em integrar soluções, espaços, pessoas e sonhos. Ela reforça o nosso propósito que é encontrar soluções criativas e usá-las como ferramentas importantes na realização de nossos projetos, agregando valor e evidenciando o que nos torna únicos, nossa essência Experiente, Precisa e Solucionadora.
     

    AV. BRIGADEIRO FARIA LIMA 2092, 18º ANDAR, SÃO PAULO - SP  |  T +55 11 3488 2600  |  MARCHIARQUITETURA.COM.BR   © 2013 Marchi Arquitetura . Todos os direitos Reservados